Pesquisar

Translate

17 de jul de 2010

PRESSÃO DE VAPOR DE UM SOLVENTE


Se considerarmos um sistema fechado no qual haja água líquida, notamos que no início a velocidade de evaporação é maior que a velocidade de condensação, e assim o nível da água vai abaixando. Entretanto, à medida que aparece o vapor, a velocidade de evaporação vai diminuindo e a de condensação aumentando, até que se tornam iguais. 
Quando as velocidades se igualam, dizemos que foi atingido o equilíbrio entre o líquido e o vapor. A pressão medida medida nesse sistema é denominada pressão de vapor.
A pressão exercida pelo vapor de uma substância, em equilíbrio com a fase líquida, a uma dada temperatura, chama-se pressão de vapor.
A pressão de vapor:
a) numa da temperatura, não depende do volume e do formato das fases líquida e vapor que estão em equilíbro;
b) aumenta por aumento de temperatura, pois a energia cinética média das moléculas eleva-se, provocando uma maior agitação corpuscular, pelo que as forças de atração entre as moléculas na superfície do líquido são vencidas, aumentando o número de moléculas na fase gasosa;
c) é tanto menor quanto maior a intensidade das forças intermoleculares de um líquido, a uma dada temperatura. Líquidos voláteis apresentam maior pressão de vapor e menores pontos de ebulição;


No gráfico ao lado podemos notar que na pressão de 760 mmHg todos os líquidos entram em ebulição. Portanto, todos têm a mesma pressão de vapor. A Ebulição ocorre quando a pressão de vapor se iguala à pressão externa no local. Ao nível do mar é de 760 mmHg.
d) para uma solução de um soluto não-volátil, é inferior à pressão de vapor do solvente puro, à mesma temperatura, uma vez que o número de moléculas na superfície do líquido que podem passar à fase gasosa é menor;
e) para uma solução de soluto não-volátil, é tanto menor quanto maior o número de partículas de soluto;
f) é uma propriedade coligativa  (depende do número de partículas do soluto e não da sua natureza).
Elaboração: Prof. Paulo Silva